Bancos sondam mercado para vender ações da Light

Bancos de investimento começaram a sondar o mercado para a colocação de um block trade (venda em bloco de ações em leilão na Bolsa) de papéis da Light, detidos pela estatal mineira Cemig. A venda seria da ordem de R$ 80 milhões.

A Cemig tem até o final deste mês para vender uma fatia de sua participação na empresa fluminense, dado que esse é o prazo para ser liquidada uma opção de venda (a chamada put) exercida por bancos contra a estatal e que resultará na ampliação da participação da elétrica mineira na Light.

A Cemig possui cerca de 49% do capital social da empresa fluminense e o aumento desse porcentual pode gerar antecipação do vencimento de dívidas da Light.

Pulga atrás da orelha. O bloco a ser vendido é pequeno e não deve encontrar dificuldade de colocação. Investidores comentam, porém, que a empresa terá que explicar por que não resolveu a questão com uma emissão de ações, que chegou a ser anunciada. Também terá que atualizar o mercado sobre o interesse da GP Investimentos, que chegou a assinar memorando de entendimento para liderar tal oferta.

Dado o prazo curto, uma operação não poderia ser colocada na rua antes do final do mês. Ontem, em teleconferência, a superintendente de Relações com Investidores da Light, Fernanda Crespo, disse que a companhia segue engajada em seu follow on (oferta subsequente). A Cemig não comentou por estar em período de silêncio. (com Luciana Collet, de O Estado de S. Paulo)

Comentários
Sem comentários ainda. Seja o primeiro.